Advogada recebe voz de prisão por passar celular a preso em delegacia de Porto Velho

Envie para seus amigos

O clima entre os advogados e policiais civis em Rondônia continua tenso. Esta semana, um advogado alega que foi impedido por agentes da Delegacia de Narcóticos da Polícia Civil de acompanhar buscas que estavam sendo feitas na casa de um cliente. O caso foi parar na delegacia e a OAB entrou na confusão.

Na noite desta sexta-feira, 26, uma advogada de 40 anos recebeu voz de prisão, dentro da Central de Flagrantes ao ser filmada repassando um aparelho de celular a seu cliente, preso por tráfico.

Leia também

Policial civil impede advogado de acompanhar buscas em casa de cliente e caso termina em empurrões

OAB/RO vai representar criminalmente e pedir o afastamento de policiais civis que agrediram advogado no exercício da profissão

Sindicato dos Delegados emite nota de apoio a delegados e policiais do Denarc

Os comissários de plantão estavam monitorando pelas câmeras de monitoramento e viram o momento em que a advogada desbloqueia seu aparelho celular e depois entrega para o preso na cela.

Após um certo tempo, ela pega o aparelho de volta e é interceptada pelos policiais civis de plantão. Ao ser questionada, a advogada negou por várias vezes tal crime, dizendo que havia passado somente álcool em gel nas mãos do seu cliente.

A suspeita chegou ao ponto de dizer que seu telefone estava inclusive descarregado e que iria lá fora no seu veículo colocar uma carga.

Todavia, quando os policiais civis mostraram a gravação ela resolveu confessar o ato, mas alegou não saber que era crime. O delegado de plantão na Central de Flagrantes foi chamado e diante da situação deu voz de prisão para a advogada pelo crime de ingresso de aparelho celular em estabelecimento prisional.

O nome da advogada não foi divulgado.

1 comentário em “Advogada recebe voz de prisão por passar celular a preso em delegacia de Porto Velho”

  1. É um desvio de finalidade essas prerrogativas dia advogados, foi criada no sentido de dar acesso aos documentos de uma forma geral relacionados à clientes, e a OAB transformou em salvo conduto para ações erradas.
    Tem advogado furando fila em pra acessar órgãos públicos alegando essa besteira, tem outros querendo fugir da lei seca, ou não respeitar o acesso a locais restritos, mas o pior é ve-los ser sócios de criminosos agindo como essa aí fez repassando o celular, ou como o outro que queria esconder provas do traficante.
    A OAB acha que possue um poder importante no país, mas ultimamente está é contribuindo com a criminalidade querendo defender advogado que se envolve com crimes.

    Responder

Deixe um comentário