fbpx

Aleatórias de 4ª – Governo decreta sigilo sobre despesas com moradia da família real, ops, família Rocha. Nem endereço nem fotos podem ser divulgados

Envie para seus amigos

Acredite

Marcos Rocha, que está de quarentena desde que assumiu o governo em janeiro de 2019, publicou portaria que, por um prazo de cinco anos, proíbe a divulgação de seus gastos referentes à moradia. A portaria da Sugespe do último dia 7, coloca em sigilo os documentos que contenham endereço e fotografias da “residência oficial temporária do governador”, que é uma casa, alugada em novembro de 2019 por R$ 6 mil, pelo prazo de um ano. Para essa casa, Marcos Rocha havia comprado uma academia em junho deste ano. Ou seja, a partir de agora, os contribuintes rondonienses não terão acesso aos gastos residenciais da família real, ops, família Rocha.

Transparência zero

Vinicius Miguel, professor de Direito da Universidade Federal de Rondônia, já protocolou dezenas de pedidos de informações sobre gastos, contratações e outras despesas promovidas por Marcos Rocha, e recebe seguidas negativas. Um verdadeiro absurdo promovido por quem elegeu-se alegando ‘fim das mamatas’, e outras balelas…Abaixo a imagem da portaria que está na página 18 do Diário Oficial do dia 07.08. 

Isso quer dizer

Que ele pode mudar para uma casa ou apartamento maior, sem precisar revelar valores de locação nem despesas, tampouco a população vai saber onde ele mora, caso queira protestar por algum motivo. Virou segredo de Estado saber onde vive a família real, desculpe, família Rocha. E onde andam os órgãos de fiscalização? Vai um prefeito se meter a besta de fazer isso para ver se não sai algemado com a família toda…

Incapacidade

Tem gente que não nasceu para administrar, e isso é um fato que pode ser constatado ao longo da história. Seja por falta de estudos, de experiência ou mesmo de interesse em querer lidar com situações tensas que envolvem essas funções. Em uma dessas alternativas podemos encaixar a secretária de Ação Social do Governo de Rondônia, Luana Nunes, que por acaso também é primeira dama do Estado. Não é de hoje que chamamos a atenção para essa situação, que chega a ser criminosa devido ao momento delicado que se encontram as pessoas menos favorecidas por conta da pandemia.

Restaurantes populares

Porto Velho tinha dois restaurantes populares que forneciam almoço a preço simbólico, um era gerido pela prefeitura de Roberto Sobrinho que deixou a enchente do Madeira em 2014 levar toda a cozinha para o lixo por puro desleixo. Outro era de responsabilidade do Governo do Estado e sobreviveu até a gestão Confúcio Moura/Daniel Pereira. Marcos Rocha assumiu o governo em janeiro de 2019 e até hoje, o restaurante que fornecia 1.500 refeições/dia não funciona. Enquanto outros estados, até vizinhos, como o Amazonas ampliaram o atendimento, com café da manhã e jantar, além do almoço, em Porto Velho a coisa não avança. E é responsabilidade da SEAS. Ou, deveria ser.

Aliás

Para quem não lembra ou ignora, a rede de assistência social que o país tinha está sendo totalmente sucateada. As farmácias populares deram espaço para redes privadas, os restaurantes populares sofrem nas mãos de pessoas que não tem capacidade gerencial ou desconhecem a importância que esses locais tem na vida dos trabalhadores. Daqui a pouco começa o desmonte da rede SAMU, é questão de tempo.

Outros na disputa

O deputado estadual Eyder Brasil (PSL) anunciou nesta quarta-feira que é pré-candidato à prefeito em Porto Velho. Atualmente o parlamentar é líder do governo na Assembleia Legislativa. O ex-deputado federal Lindomar Garçon também já lançou pré-candidatura a prefeitura. Se realmente Hildon Chaves manter-se fora do processo eleitoral, o PSDB deve anunciar o nome de Maurício Carvalho, representando o grupo político.

Deixe um comentário