fbpx

Com processos em Goiânia e CPI da Covid, Fernando Máximo se enterra no próprio gorro

O secretário de Saúde de Rondônia, Fernando Máximo sumiu dentro do próprio gorro. Com processos em Goiânia, onde sócios cobram a prestação de contas de valores investidos na dupla sertaneja Cleber e Cauan, e ainda alguns empréstimos e gastos estranhos que o secretário precisa explicar aos associados, que estão sentindo-se lesados. Além disso, a possibilidade de convocação para dar explicações sobre os gastos do governo do Estado no combate à pandemia, na CPI da Covid em andamento no Senado, colaboraram para o sumiço do secretário.

Rondônia tem muito a explicar. A compra do hospital Regina Pacis, os kits de testes rápidos, a demora em se organizar e agora por último, a lentidão no processo de vacinação.

A convocação de Fernando Máximo seria muito mais importante que chamar o governador Marcos Rocha, que parece ser uma pessoa bem desligada. Na campanha eleitoral, ele disse que quando era secretário de governo, houve uma tentativa de suborna-lo e ele não deu voz de prisão ao corruptor porque estava com o ‘pé quebrado’.

Como se vê, melhor chamar Fernando Máximo para que ele dê explicações, afinal, o secretário gosta de falar, falava todos os dias, e desde que começou a CPI e os processos movidos pelos sócios-investidores de Goiânia começaram a movimentar, ele desapareceu.

Para saber mais sobre o caso Cleber e Cauan – CLIQUE AQUI e também AQUI

Para saber mais sobre a compra da Regina Pacis – CLIQUE AQUI e também AQUI

Deixe um comentário

Total
0
Share