fbpx

Compra de 100 mil kits de testes rápidos também são investigadas pela PF

Envie para seus amigos

Investigações apontam que os testes entregues são diferentes dos testes comprados

A Operação Dúctil, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira investiga também a compra de 100 mil kits de testes rápidos pelo governo do Estado da empresa BuyerBR, que vendeu os produtos em 7 de abril, com previsão de entrega de 10 dias, mas os produtos só foram disponibilizados quase 40 dias após a compra.

A empresa recebeu R$ 3 milhões adiantados e não deu nenhuma garantia para o governo. Os valores chegaram a ser bloqueados pela justiça e empresa ainda não entregou o total vendido, de 100 mil, entregaram apenas 90 mil. A BuyerBR também foi alvo de operação no Ceará há cerca de duas semanas.

Chama a atenção nas fotos disponibilizadas pela Polícia Federal, a diferença entre os produtos mostrados pela empresa na hora da venda, e os produtos apreendidos. São totalmente diferentes, inclusive de outra marca, da que foi ofertada. Veja abaixo:

Kits que foram anunciados como os que deveriam ter sido entregues
Kits entregues pela empresa, são totalmente diferentes, tanto a embalagem quanto a marca

Na operação desta quarta-feira foram expedidos dois mandados de prisão, um deles é para o empresário Patrick de Lima Oliveira Moraes, da empresa Plom Comércio Atacadista de Materiais de EPI.

Em Ji-Paraná também estão acontecendo buscas.

Deixe um comentário