Close

Confúcio segue se fazendo de ‘gato morto’ sobre Platéias

Processo movido pela PGR sobre supostos desvios de R$ 57 milhões em Rondônia, segue adormecido

Em 20 de novembro de 2014, logo após as eleições, o então governador de Rondônia, reeleito, foi acordado com a Polícia Federal na porta de sua casa, em Porto Velho. Os agentes, cumprindo ordem judicial, conduziram Confúcio Moura coercitivamente para prestar esclarecimentos sobre denúncia da Procuradoria Geral da República sobre supostos desvios que poderiam chegar a R$ 57 milhões em contratos do Estado.

Os recursos, segundo a denúncia, foram para irrigar as campanhas do MDB em Rondônia. Como havia sido reeleito, o foro do então governador era o Superior Tribunal de Justiça (STJ) onde o processo tramitava com certa normalidade.

Porém, em 2018 Confúcio foi eleito senador, e aí seu processo subiu para o Supremo Tribunal Federal. Por lá também descansa sob alguma gaveta a Ação Penal 867/DF, que trata de crimes contra a ordem tributária.

Pela velocidade “esseteefiana”, quando o mandato de Confúcio acabar, daqui a 7 anos, pode ser que ele tenha sido julgado. E ele ainda criticou a Lava-Jato em seu blog pessoal. Realmente, andam querendo reescrever a história do Brasil.

LEIA+
Deputados prometem "apertar o cerco" em CPI da Energisa, "há relatos de 100% de aumento em tarifas"

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments
Total
9
Share
scroll to top