Close

Coronel PM Amoan Garret morre em Porto Velho vítima do coronavírus

O coronel da Polícia Militar de Rondônia, Amoan Itai Garrett da Silva, 62, morreu na noite desta segunda-feira (26) vítima da Covid-19, em Porto Velho (RO).

O militar vinha lutando contra a doença infecciosa e após dias internado não resistiu. Garrett estava na reserva remunerada da Polícia Militar e era chefe do Gabinete Militar da Prefeitura de Porto Velho.

Amoan Garret ingressou na Polícia Militar no ano de 1985.

Foi um dos mais condecorados e importantes oficiais da Polícia Militar de Rondônia, comandou centenas de operações e ocupou diversos cargos na estrutra de segurança pública.

Rondônia registrou 28 mortes por Covid-19 nesta segunda-feira (26) segundo informações do boletim diário das Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Desde o começo da pandemia, são 5.076 vítimas fatais. 

Nas últimas 24 horas, Rondônia também teve 522 diagnósticos positivos para coronavírus. Somados os casos confirmados, desde março do ano passado, 209.668 rondonienses infectados, sendo 9.290 casos ativos.

LEIA+
Governo está omitindo mortes por coronavírus em Porto Velho, mostra atestado

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

1 Comment

  1. Era o ano de 1982. 71º BIMTZ. Foi ali que conheci grandes personalidades! Fui colocado no PELOPES, da 1ª Cia. de Fuzileiros. Ao lado de Morgan, de Monteiro e de tantos outros, estava Amoan Garrett. Vibrador, destemido, de personalidade forte, firme nas decisões, apaixonado pelas técnicas de sobrevivência na selva e em táticas operacionais. Nele me espelhava. E, por incentivo dele, fui para o curso de cabo. Eu e o colega F. Silva, éramos vibradores, cumpridores do dever. No final do ano recebemos diploma de soldados exemplares. Foi então que o Garrett me deu a ideia de engajar-me. Mas por motivos outros, terminei saindo e indo para a locução, na antiga Rádio Difusora de Garanhuns. E, passados quase trinta anos, em 2014, o amigo de infância, Dorgivaldo, encontrou-me pela internet. Fui até Porto Velho rever o amigo. Lá, fiquei sabendo que o Coronel Garrett havia feito carreira na Polícia MIlitar. Mas não consegui falar com ele naquela oportunidade, infelizmente não deu certo! Hoje, estou aqui para deixar meu abraço amigo à família. Que o Deus Criador do Universo, Supremo Arquiteto, conceda ao Coronel Garret descanso e paz! Parafraseando o apóstolo Paulo, podemos dizer que “Garrett combateu o bom combate, completou a carreira e guardou a fé”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comment
Total
2
Share
scroll to top