Documento que censura militares em RO partiu dos Bombeiros, mas vale também para a PM

Envie para seus amigos

O memorando que proíbe militares do Corpo de Bombeiros de Rondônia de tecer comentários em redes sociais contra membros do Executivo, Judiciário e Legislativo foi idealizado e distribuído internamente pelo corregedor do Corpo de Bombeiros, Felipe Santiago Chianca Pimentel. Apesar disso, ele vale também para a Polícia Militar.

A divulgação do memorando causou desconforto na PM, pela forma como PAINEL POLÍTICO divulgou. O Comando, por meio de interlocutores, informou que a iniciativa é dos bombeiros, que tem autonomia. Porém, as mesmas determinação são válidas aos integrantes da Polícia Militar, ou seja, a única discordância se deve ao fato de ter partido do BM e não da PM.

Fontes da Polícia Militar informaram que a determinação se deve ao fato de vários oficiais e o próprio governador, que é da reserva da PM, estarem sendo alvo de críticas por parte de policiais em redes sociais e grupos de WhatsApp.

Desde o ano passado que a Polícia Militar anda insatisfeita com o governo de Marcos Rocha, que não estaria cumprindo acordos feitos para evitar um motim de familiares. Em maio deste ano, mulheres de PMs retomaram um movimento iniciado em maio, onde buscavam um realinhamento salarial prometido em 2019. Elas chegaram a ir para a frente dos quartéis fazer exigências.

Abaixo, o memorando:

Deixe um comentário