fbpx

É uma irresponsabilidade o prefeito dizer que informações do laboratório são ‘fake news’ ou ‘torcida contra’

Nesta quarta-feira divulgamos que a compra de vacinas pela prefeitura de Porto Velho do laboratório que produz o imunizante AstraZeneca, tem uma falha grave, o laboratório afirma e reafirma que não está vendendo seu produto nem a governos nem prefeituras no Brasil. Isso já desmente a primeira informação dada pelo prefeito Hildon Chaves, lá em março, de que estava comprando o produto do laboratório.

Depois, aos vereadores, ele mudou a versão. Agora a compra estaria sendo feita através de um suposto pool de investidores que teria cotas de vacinas e eles que fazem a venda. Em contato com a assessoria da AstraZeneca no Brasil, fiz esse questionamento, e novamente a empresa reafirma o primeiro posicionamento, negando que exista esse tipo de arranjo.

Caberia ao prefeito de Porto Velho revelar os detalhes dessa negociação. Que ‘pool de investidores’ é esse? Como está sendo feita essa compra? Quem é o garantidor da qualidade dessas vacinas e a quem recorrer, se posteriormente for revelado um golpe? O laboratório nega que esteja vendendo, então como o prefeito está comprando?

Alguns mais afoitos alegam que se trata de ‘torcer contra’, para que o prefeito caia em desgraça para atrapalhar o futuro político de Hildon. Quem, em sã consciência desejaria isso? Que espécie de psicopatia é essa que assola a cabeça de quem defende o prefeito? Até mesmo adversários políticos torcem para que a compra dê certo. Pessoas estão morrendo todos os dias, o comércio está quebrando, e só um a mente doentia pode imaginar que alguém torce contra a compra de imunizantes.

Nos últimos tempos qualquer notícia que desagrade ou cobre posições transparentes é taxada de ‘fake news’, acostumou-se a desacreditar a imprensa, ao invés de esclarecer ou prestar contas.

O dinheiro usado na compra dessas vacinas é público, são impostos pagos pela população que tem todo direito de saber como ele está sendo aplicado. E prazos devem ser cumpridos, é injusto criar expectativas com datas irreais.

Repito, pessoas estão morrendo. Nem todos, aliás, bem poucos, tem condições financeiras de ser internado em um hospital de ponta e a maior esperança é a vacina.

Cabe a Câmara de Vereadores o papel de fiscalizar, de cobrar do prefeito e se for o caso, puni-lo. Chega dessa conversa cansada de ‘prazos e burocracia’, seja claro, transparente. E aos vereadores, quanta incompetência ou conivência reunida em um só espaço. Bastaria um simples ofício ou email ao laboratório para descobrir que a conversa de Hildon não se sustenta.

É prego na areia.

2 comentários em “É uma irresponsabilidade o prefeito dizer que informações do laboratório são ‘fake news’ ou ‘torcida contra’”

  1. Seria muito.bom que esse material chegasse, más pergunto? O que muda na questão da responsabilidade nacional? Qual é o prejuízo financeiro causado? E se pode condenar uma atitude louvável de resolver um problema que em nada mudará a figura que estamos vivendo caso a transação não der certo? Espero o desenrolar desse imbróglio e é óbvio que não deixa de ter um viés político de todas as partes.

    Responder

Deixe um comentário

Total
6
Share