Envie para seus amigos

Em tempos de debates sobre a crise da saúde, coronavírus e falta de recursos para atender o básico da saúde pública, cinco empresas em Rondônia devem juntas, R$ 4.562.695.992,76 em impostos ao governo federal e estão inscritas na dívida ativa.

Elas constam na lista de devedores da União. Entre os três maiores devedores está a Caerd, que deve R$ 1.052.272.755,44. A segunda maior inadimplente é a Gidan Indústria e Comércio de Alimentos e Produtos de Limpeza, com uma dívida de R$ 1.542.815.110,08.

A maior devedora é a J.C. Indústria e Comércio de Produtos de Limpeza com um débito de R$ 1.543.087.229,93.

Veja abaixo os 5 maiores devedores de Rondônia:

A relação também mostra outros inadimplentes conhecidos. Um dos maiores sonegadores é o ex-deputado estadual e ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Natanael José da Silva, que tem débitos como pessoa física e jurídica. A distribuidora de bebidas São Miguel Arcanjo (Dismar) que tinha Natanael como sócio, deve R$  136.867.730,65. E o próprio Natanael deve R$ 71.455.983,43.

Outro nome conhecido que consta na relação é o sogro do deputado federal Expedito Netto, Reinaldo Selhorst, com uma dívida de R$ 192.955.326,72.

Também consta na relação de devedores, José Joaquim dos Santos, o “Zezinho do Maria Fumaça“, com um débito de R$ 6.061.393,33, o ex-deputado estadual Jidalias dos Anjos Pinto, o “Tiziu Jidalias“, R$ 3.105.325,13.

Se essa turma pagasse os impostos devidos, que juntos representam quase o orçamento anual do Estado de Rondônia, daria para resolver a crise provocada pelo coronavírus.

blogpainel

blogpainel

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *