fbpx

Empresário foi preso em Rondônia por suposta divergência de preços

Envie para seus amigos

Empresa PLOM Comércio Atacadista vendeu vários produtos para a SESAU

O empresário Patrick de Lima Oliveira Moraes, sócio da empresa Plom Comércio Atacadista foi um dos presos na Operação Dúctil, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira em Rondônia, que investiga compras emergenciais feitas pelo governo.

A empresa Plom vendeu uma série de ítens, como álcool gel e luvas. A empresa chegou a vender luvas por R$ 35 a caixa, independente do material, o preço era o mesmo para luvas com pó, luvas sem pó, produtos distintos com mesmo valor. E esse pode ter sido um dos motivos da prisão do empresário.

A PF não deu maiores detalhes sobre o segundo mandado de prisão, apenas que foi em São Paulo.

Também estão sendo investigados a compra de testes rápidos, mas ao contrário do que divulgamos mais cedo, não são os vendidos pela empresa Buyer BR.

Deixe um comentário