Close

Energisa pode romper contrato de exclusividade e abrir espaço a novas bancas de advocacia em RO, AC e MT

A informação foi repassada por um integrante da diretoria da Energisa S/A, durante uma ponte aérea Porto Velho/Guarulhos. Segundo a fonte a empresa não tem conseguido um bom diálogo com as atuais bancas que os representam em Rondônia, Acre e Mato-Grosso, devido a baixa experiência da região Norte com o trabalho “contencioso”.

Na conversa informal o representante afirmou que além das demandas naturais oriundas da prestação de serviços as Assessorias jurídicas ainda estavam patinando com defesas impróprias e com erros em processos relativamente simples, e que estas “escorregadas” vem rendendo vários prejuízos para Energisa, já que a empresa é condenada quase que diariamente em razão de defesas defasadas e em confusão processual.

Durante a conversa, o integrante de Energisa explicou que muitas vezes as condenações ocorrem em razão de defesas trocadas o que acarreta em uma espécie de “revelia velada” vez que nem os juízes podem usar a defesa apresentada pois não se adequa ao tipo do processo.

“Seria como eu ir num processo de pensao alimentícia e fazer defesa de abuso de autoridade”.

A empresa está mapeando esses “incidentes” para poder tomar uma decisão e uma das soluções encontradas seria abrir o mercado e distratar a clausula de exclusividade para trazer bancas de fora, especializados em demandas contenciosa ou mesmo abrir aos escritórios da região e assim fatiar as demandas em busca de uma prestação de serviço mais adequada, diminuindo as perdas financeiras da empresa.

A empresa, através da sua assessora de imprensa Renata Batista disse: “A Energisa informa que a informação não procede”.

A fonte do blog é confiável e mantém a informação.

LEIA+
Aleatórias de 4ª feira - Vem aí mais um reajuste nas contas de energia e você já pode agradecer a Jaqueline Cassol e Coronel Chrisóstomo

*post atualizado às 18h39min (horário de Brasília) para acréscimo da posição da Energisa.

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments
Total
4
Share
scroll to top