Close

Estado não forneceu EPIs suficientes para servidores em tempo hábil, dizem enfermeiros

Medo de levar multa leva secretário a acusar servidores de negligência

O presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado de Rondônia (Sinderon) Charles Alves rebateu na tarde de hoje as declarações do secretário estadual de saúde, Fernando Máximo, sobre a contaminação de profissionais de saúde (enfermagem) nas unidades de saúde pelo Covid – 19.

Segundo o secretário, os profissionais se contaminaram por serem negligentes pela não utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). 

+ de 4 mil ouvintes. Confira nosso podcast

Charles Alves disse que a categoria está indignada com a acusação do secretário e classificou-a como leviana. “Em sã consciência, qual é o enfermeiro que em plena pandemia teria coragem de se expor a um perigo de contaminação, colocando em risco sua própria vida? Essa declaração é um desrespeito à categoria que todo dia tem feito um excelente trabalho nas unidades hospitalares em todo o Estado no tratamento de pacientes infectados”, disse Charles em tom de indignação. 

O presidente do Sinderon disse ainda que antes da contaminação desses profissionais de enfermagem, o sindicato notificou a Secretaria de Estado da Saúde, diretores das unidades de saúde do Estado, baseado no Decreto de Calamidade Pública, para que o Estado efetivasse a distribuição de EPI`S em quantidade adequada para todos os profissionais de saúde, afastamento dos servidores em situação de risco, e da necessidade de testagem em massa para separação dos possíveis contaminados. 

Secretário de Saúde Fernando Máximo

”Até hoje, a Secretaria de Saúde não respondeu aos ofícios do sindicato. Ou seja, até hoje esses não foram distribuídos em quantidade aos servidores. O sindicato, preocupado com a saúde dos profissionais e com boa-fé adquiriu e está distribuindo os equipamentos de proteção individual para tentar mitigar a omissão do Estado. Portanto, o Estado não tem cumprido sua obrigação prevista no Decreto e na Nota Técnica da Anvisa que obriga o uso desses equipamentos”, ressaltou Charles. 

LEIA+
Rondônia registra 393 casos de coronavírus, diz Ministério da Saúde

A própria Justiça do Trabalho reconheceu a omissão do Governo de Rondônia no fornecimento de EPIs aos trabalhadores da saúde.

No início desta semana, o Juízo da  5ª Vara do Trabalho deferiu liminar em favor do Sinderon e determinou que o Estado forneça EPI´s para servidores do João Paulo II e Hospital de Base, sob pena de multa de R$ 1 mil diária por servidor afetado. A liminar foi deferida na Ação Pública n. 0000492-91.2020.5.14.0005 para cumprimento em 72 horas. 

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments
Total
32
Share
scroll to top