EXCLUSIVO: Engenheiro concursado do DER é transferido “na marra” e denuncia abusos e coação

Envie para seus amigos

Engenheiro alega que foi transferido ‘sob coação’ e quer nulidade do ato

Um engenheiro do Departamento de Estradas e Rodagens de Rondônia (DER-RO), através do sindicado dos servidores do DER, protocolou mandado de segurança contra sua cedência, segundo ele feita ‘sob coação’ do DER para o Corpo de Bombeiros.

Concursado e no DER desde 2011, ele afirma que em 13 de março deste ano, o Comando do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia,
encaminhou ao Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestruturas e Serviços Públicos – DER, ofício solicitando a cedência de um servidor graduado em Engenharia Civil ou Engenharia com Especialização em Segurança do Trabalho para atuar na Diretoria de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros Militar na cidade de Porto Velho.

No dia 18, o Diretor Geral do DER, Erasmo Meireles e Sá, por meio de ofício apresentou o servidor ao Subcomandante Geral do Corpo de
Bombeiros Militar de Rondônia. Na mesma data, o engenheiro encaminhou ao Diretor Geral do DER um memorando informando que “ele não possui
conhecimento técnico (ART ou CAT), que o capacite para a área de análise de projetos de prevenção e combate a incêndio e a desastres em estabelecimentos, edificações e áreas de reunião de público, serviço que é desenvolvido por profissionais do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia – CBMRO”.

Erasmo Meireles é o diretor geral do DER

Além de alertar para a falta de capacitação técnica, ele também informou o interesse em permanecer exercendo suas atividades profissionais no âmbito DER (autarquia para qual prestou concurso público).

O engenheiro afirma que em 20 de março, mesmo estando em regime de “home office” por conta da quarentena causada pelo coronavírus, o Diretor Geral do DER o terioa convocado para que comparecesse ao seu
gabinete. Ele conta que “ao adentrar ao gabinete da Direção Geral foi surpreendido com a presença de um servidor comissionado, lotado no Programa de Aceleração de Crescimento – PAC / DER e de um Major PM, assessor do Diretor Geral e na ocasião o Diretor Geral, “de forma coercitiva” mandou que ele assinasse o recebimento de um memorando, que anulava o anterior, com as informações sobre sua capacidade”.

Ele prossegue, na inicial, alegando que comunicou ainda, a perda de gratificação por conta dessa alteração, mas o diretor teria ignorado, e de acordo com o servidor, “o Diretor Geral do DER não atendendo aos argumentos, determinou de forma truculenta que o servidor se apresentasse imediatamente ao Comando do Corpo de Bombeiros de Rondônia, fato que lhe causou constrangimento, uma vez que naquele momento estavam presentes os assessores supramencionados do Diretor Geral”.

No mandado de segurança, ele pede o retorno ao DER. Essa não é a primeira queixa contra a atual direção do DER. Na semana passada, o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes, fez um duro discurso contra o diretor do órgão – RELEMBRE AQUI.

Deixe um comentário