Close

Governador e prefeito da capital falam em ‘lockdown’ em Rondônia e culpam população

Em pronunciamento na tarde desta sexta-feira, Marcos Rocha culpou ‘fofoqueiros’ que não deixaram o Estado alugar um hospital

O governador de Rondônia Marcos Rocha (PSL) e o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) em pronunciamento conjunto na tarde desta sexta-feira, 8, falaram na possibilidade de endurecer as medidas de isolamento em Rondônia.

Rocha afirmou que por conta de festas e reuniões que foram feitas durante o período de isolamento, além de um velório que durou cerca de 12 horas e contou com um grande volume de pessoas, colaboraram para aumentar o número de casos de coronavírus em Porto Velho e Ariquemes, cidade a 200km da capital, que registra o segundo maior número de casos no Estado.

+ de 4 mil ouvintes. Confira nosso podcast

O governador declarou ainda que se reuniu com setores do comércio para trabalharem juntos em reduzir ainda mais a circulação de pessoas na cidade.

Marcos Rocha abriu seu discurso responsabilizando parte da imprensa, que criticou a locação do hospital Prontocordis, que segundo ele, ‘resolveria o problema’, mas ele culpou ‘os fofoqueiros’ pela desistência do negócio. O hospital seria alugado por pouco mais de R$ 3 milhões, por três meses, mas os detalhes do contrato e a justificativa, na época, não eram claras, o que gerou uma série de suspeitas.

O governo então comprou uma maternidade que funcionava em um prédio de 33 anos de idade por R$ 12 milhões, segundo Rocha “compramos calados para evitar novas fofocas”, disse Marcos Rocha. O hospital está instalado em uma área residencial, não tem estacionamento sequer para ambulâncias e está passando por reformas.

LEIA+
Advogadas presas em operação contra o PCC em Porto Velho estão em celas de homens com ratos e baratas, diz OAB

O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves complementou a fala de Marcos Rocha, e afirmou que se faz extremamente necessário que a população respeite as medidas de isolamento social para evitar o colapso do sistema de saúde, “vamos ter que adotar medidas duras de fechamento caso isso não ocorra”, disse Hildon.

A culpa sempre é dos outros

Tanto Marcos Rocha quanto Hildon Chaves são responsáveis diretos pelo aumento de casos de coronavírus em Rondônia. Ambos editaram decretos de flexibilização de abertura do comércio que só não estão em vigor graças a decisões judiciais. Ambos atenderam pedidos do chamado ‘setor produtivo’ do Estado.

O último decreto de Marcos Rocha autorizava que municípios voltassem às aulas desde o último dia 4, medida que também foi derrubada pela justiça. Tanto ele quanto Hildon culparem a população é de uma falta de caráter sem precedentes. Se foram feitas festas, reuniões e velórios é porque eles não levaram a sério o problema desde o início. Eles não entenderam que não é não, e não ‘pode ser, talvez’.

Rondônia já registra mais de 1 mil casos de coronavírus, sendo que porto Velho e Ariquemes detém os maiores números, sendo 829 na capital e 119 em Ariquemes, de acordo com dados do Ministério da Saúde de quinta-feira, 7.

Após a fala do governador e do prefeito, fiz um comentário no FB

https://www.facebook.com/painel.politico/videos/2846195542101391/

Jornalista, consultor em comunicação e gestão de crise

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Comments
Total
1
Share
scroll to top