fbpx

Notas aleatórias de 4ª feira – Secretário de Saúde do Estado está internado em UTI particular

Ué, não era o que havia de melhor e mais moderno?

O secretário de Saúde de Rondônia, acometido pelo coronavírus, está internado…no 9 de Julho. Um hospital particular. Logo ele, Fernando Máximo, que tanta propaganda fez para justificar a compra da maternidade Regina Pacis, onde segundo ele, ‘está instalado o que há de melhor e mais moderno’ em termos de UTI e atendimento. Se é tão bom e moderno, porque está entubado no 9 de Julho? Vamos aguardar a desculpa que ele vai dar quando deixar o hospital. Posso até adiantar, “fiquei no hospital privado para não ocupar leitos públicos, para quem realmente precisa”. Para rebater é simples, não estão sobrando leitos? Sobrando tantos que essa foi uma justificativa de sair da Fase 1 de reabertura direto para a Fase 3? Vai ter que arrumar uma melhor, secretário.

Defenda o SUS

Antes que alguém diga que estou sendo cínico, ou fazendo críticas injustas, é bom lembrar que, se é bom para o povo, tem que ser bom para as autoridades. Já adianto que sou usuário do SUS, sou radicalmente contra pagar plano de saúde, principalmente em Rondônia, onde os médicos são praticamente os mesmos, você paga apenas por um quarto privativo. Se o serviço ofertado pelo Estado à população é tão bom, então que os mandatários o utilizem. O mesmo vale para os empresários que querem abrir geral. E garanto, fosse eu um homem público, estaria internado em um hospital público!

Tirou, mas pode voltar

A pedido do governo do Estado, a Assembleia Legislativa retirou da pauta de votações o projeto de lei que previa o perdão da dívida da Energisa. A retirada foi comemorada pelo deputado federal Léo Moraes, líder do Podemos no Congresso, já que foi ele quem briga por essa questão desde o ano passado, quando o governo apareceu com essa novidade. Mas, apesar de ter sido retirado da pauta, não está morto. Os deputados poderiam ter matado esse assunto na Comissão de Constituição e Justiça, arquivado por lá mesmo, mas tocaram adiante. Se tivesse sido arquivado, não poderia voltar a ser mais discutido no ano legislativo, como não fizeram o assunto pode voltar para assombrar os rondonienses à qualquer momento.

Sumidão

Edgar do Boi, vice-prefeito de Porto Velho, anda mais sumido que nota de R$ 100 no bolso de trabalhador. Mas, o culpado no caso dele não é o coronavírus ou a pandemia. Depois que foi engolfado pela delação de um executivo da Odebrecht, ainda em 2019, Boi desapareceu. Se tem gente que sente falta do vice-governador, imagina do vice-prefeito. Nem Roberto Sobrinho conseguiu sumir tanto assim com um vice.

Em Rolim, mais uma reviravolta

O advogado Nelson Canedo conseguiu reverter, em Brasília, a perda de mandato do prefeito de Rolim de Moura, Luizão do Trento, que reassume o cargo, após ter sido afastado. A decisão foi do ministro Luis Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral e ela estabelece que, apesar do retorno de Luizão ao cargo, ele apenas poderão terminar o mandato, mas não se candidatar novamente, já que os efeitos da cassação foram mantidos. Em Rolim, já estavam marcadas eleições suplementares para o próximo dia 23, mas elas também foram suspensas. O prefeito em exercício, Lauro Franciele Lopes informou apenas que ele não foi notificado da decisão, o que deve ocorrer ainda hoje. Luizão e seu vice estavam afastados do cargo desde maio. Eles foram acusados de arrecadação e gastos ilícitos na campanha eleitoral. O vereador Lauro Franciele Silva, que era presidente da Câmara de Rolim de Moura, assumiu a chefia do executivo municipal.

Pacotaço de maldades

Se você acha que a vida no Brasil está difícil, espere quando acabar a pandemia. Paulo Guedes e sua trupe estão preparando um pacotão para mudar a vida dos brasileiros, para pior, é claro. No futuro a gente conversa.

Deixe um comentário

Total
6
Share