fbpx

Pedido de vista adia julgamento do prefeito de Rolim de Moura no TRE

Envie para seus amigos

Luizão do Trento segue no cargo; pedido deve ser avaliado em 15 dias

Um caso complexo. É assim que pode ser definido o processo de cassação do prefeito de Rolim de Moura (RO) Luizão do Trento, que chegou a perder o mandato, houve convocação de novas eleições no município, mas uma decisão do TSE, a uma semana do pleito suplementar que estava marcado, manteve o prefeito no cargo em 2018.

O prefeito e seu vice foram cassados sob a acusação de gastos ilícitos nas eleições de 2016, ao supostamente emitirem cheques sem fundos, trocados por empresas e pagos pelo comitê financeiro de campanha, não reapresentados para a devida compensação e tampouco contabilizados nas contas de campanha.

A defesa alegou que não houve caixa 2 ou uso de fontes vedadas, mas apenas excepcionalidades na troca e nos descontos dos cheques ante à greve bancária que ocorria na época. Também elencou uma série de questões que, segundo o ministro do TSE, não foram devidamente analisadas pelo Regional. Com isso, a Corte suspendeu as eleições suplementares e o Tribunal Regional Eleitoral em Rondônia passou a reavaliar o caso.

Na última segunda-feira, 27, teve início o julgamento, e a defesa do prefeito patrocinada pelo advogado Nelson Canedo, já obteve uma importante conquista, o voto do relator, juiz eleitoral Clênio Amorim, foi favorável à absolvição de Luizão e seu vice. O juiz Ilisir Bueno pediu vistas ao processo, que é físico, e deve retornar à pauta em até 15 dias.

Luizão e seu vice

Deixe um comentário