PM é denunciado por racismo em Porto Velho, “não tenho a pele suja”

Envie para seus amigos

Na última sexta-feira, 9, foi registrada uma ocorrência na Polícia Civil contra o policial militar identificado como Jarder Santos, mais conhecido como “Lord”. Ele teria proferido ofensas racistas contra o apresentador da Lolla Karaokê, em Porto Velho.

De acordo com a denúncia, “Jarder Santos,, já alterado alcoolicamente, começou uns ataques racistas contra minha pessoa, dizendo que ele era branco dos olhos azuis e que não tinha a pele suja apontando para o meu braço, dando a entender que se referia ao meu tom de pele, e que eu não tinha o direito de falar com ele porque além de ser branco ele era rico, aumentando os ataques a mim e aos funcionários da casa”.

A narrativa professe, “que ele não usava Romannel e que nos nunca teríamos como comprar os ouros que ele usava, pois éramos apenas assalariados e que ele ganhava 6 mil reais. Que o mesmo fazia parte da alta burguesia de Porto Velho e a todo momento ele insistia em não usar a mascara e evitando qualquer distanciamento sendo inconveniente ao ponto de cuspir no meu rosto enquanto falava. as ofensas só pararam quando o mesmo foi convidado a se retirar da casa”.

Veja abaixo o boletim. O nome da vítima foi suprimido.

Processo administrativo

O mesmo policial responde a um processo administrativo disciplinar e pode ser expulso da PM por ter desejado “que todos os apoiadores do Bozo com mais de 30 anos peguem Covid-19”.

Deixe um comentário