fbpx

Sem Sputinik nem AstraZeneca, a única vacina que Rondônia vai ter, pelo jeito, é a do PNI

O governador de Rondônia Marcos Rocha, ao que tudo indica, está fazendo o que mais faz desde que assumiu o comando do Estado, enrolando e levando parte da população no bico.

Ele vai dizer que é fake news, que é gente que torce contra, que não tem Deus no coração, ou qualquer outra besteira que costuma alegar quando é pego com conversa fiada, mas na tarde desta terça-feira acontece uma reunião com estados do Norte e Nordeste que compraram a vacina Sputnik V e o ministro da Saúde Marcelo Queiroga.

Wellington Dias, governador do Piauí e presidente do Consórcio do Nordeste,  que reúne nove estados da região, deve comparecer presencialmente no encontro, que acontece às 17h em Brasília. A pauta principal é a formalização de um contrato entre o Ministério da Saúde e os estados que compraram a vacina russa. A ideia é que as 37 milhões de doses negociadas com a Russia sejam incluídas no Plano Nacional de Imunização (PNI). A informação é de Bela Megale, do jornal O Globo.

O Consórcio do Nordeste fechou com os russos a compra de 37 milhões de doses e quer colocar esses imunizantes à disposição da pasta da Saúde, para serem incluídos no PNI. Dessa maneira, haveria uma distribuição proporcional da vacina a todos os estados do Brasil. Uma das opções é que o governo federal reembolse os estados pela compra. 

Ou seja, as 1 milhão de doses de vacinas que Marcos Rocha alega ter comprado através do Consórcio de governadores, será distribuída através do PNI e o prazo surreal de imunizar a partir da segunda quinzena de abril, conforme havia sido anunciado por Rocha, já foi para o beleléu. Até hoje, a Anvisa se recusa a autorizar o imunizante russo, alegando ‘falta de documentos’. A Sputinik já vem sendo usada em vários países, mas a agência de Bolsonaro alega que pela falta de papéis não pode ser usada no Brasil.

Além disso, o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, outro que também anda prometendo vacinar geral, ainda não explicou a mágica que anda fazendo para comprar vacinas de um laboratório que garante não estar vendendo no setor privado, apenas para governos.

Para piorar o cenário, baseado talvez em vozes de sua cabeça, o governador decidiu, junto com seu secretário de Saúde ‘Zé Touquinha’, que no auge da pandemia, com o Estado registrando mortes numa média de 50% acima das demais unidades da federação, era hora de abrir o comércio e liberar geral.

Que Deus tenha piedade da população de Rondônia…

Deixe um comentário

Total
6
Share