fbpx

Situação nos postos de saúde de Porto Velho é desesperadora; relatos emocionados e discussões viraram rotina

Envie para seus amigos

Com 391 mortes registradas e mais de 14, 3 mil casos Rondônia vive um pesadelo mergulhado na Covid-19. Porto Velho, a capital, tem mais de 9 mil casos e acumula o maior número de óbitos, e a rede pública entupida de gente buscando algum auxílio, tanto por sintomas do coronavírus, quanto por outras doenças.

E foi a crise que mostrou a total incompetência e incapacidade do pernambucano Hildon Chaves, que foi 20 anos promotor do Ministério Público, e pelo menos 10 responsável pelas ações referentes a saúde pública.

Antes da pandemia Hildon Chaves já vinha sendo criticado pela falta de médicos, equipamentos e equipes nos postos de saúde do município. Com a chegada do coronavírus, o que restava de popularidade de Hildon, eleito como o “paladino que iria mudar a cidade”, com o slogan “Porto Velho, deixa eu cuidar de você”.

O coronavírus mostrou que o prefeito é bom para fazer dinheiro, para ele, já que no meio da pandemia vendeu sua empresa por R$ 120 milhões, mas como gestor público, é um fiasco.

Um vídeo, postado em uma rede social esta semana, mostra bem o descaso da prefeitura. Veja e conclua:

Um relato emocionado também mostra a incompetência escrachada do prefeito:

Uma recomendação aos familiares que perderam entes queridos por conta da incompetência municipal (e também estadual), ingressem com ações contra o município e Estado por descaso, desleixo e incompetência administrativa. Mas ingressem com ações contra os gestores, é no bolso deles que tem que pesar essa fatura. Ao menos Hildon tem R$ 120 milhões na conta. O Fernando Máximo, secretário de Saúde do Estado, também deve ter um pé de meia.

Deixe um comentário