SUPEL se pronuncia sobre licitação da alimentação dos presos

Envie para seus amigos

Sobre a nota a respeito do processo licitatório e alimentação dos presos, na qual uma empresa de ji-Paraná (320km de Porto Velho) venceu, a Superintendência de Licitações do Estado – SUPEL, encaminhou na manhã desta sexta-feira uma nota de esclarecimento. Veja a íntegra:

Aquisição de serviços pela Supel é feita com critério e transparência

Sobre a licitação feita para a aquisição de alimentas das unidades prisionais de Porto Velho, a Superintendência Estadual de Licitação (Supel) informa que todo o processo foi feito de forma criteriosa e com transparência, de acordo com os princípios de administração pública do Governo de Rondônia.

Segundo o superintendente da Supel, Márcio Gabriel, esse é um processo muito concorrido e que desperta uma disputa acirrada entre os fornecedores. “Toda cautela foi tomada pela Supel para conduzir o processo da melhor forma para atender aos processos jurídicos e garantir economia e qualidade nos serviços oferecidos pelos fornecedores”.

O gestor explica, ainda, que tendo qualquer discordância do processo, a Supel pode ser procurada para esclarecer dúvidas. “O processo está aberto e os advogados dos fornecedores têm acesso, tanto de uma parte quando de outra. Se não houve concordância com as decisões desta licitação, eles podem protocolar, a qualquer momento, recursos, de acordo com o que é previsto em lei, e encaminharemos à Procuradoria Geral do Estado, ou também à Justiça”.

Márcio Gabriel reforçou, ainda, que a Supel está à disposição dos órgãos de controle e dos advogados das partes interessadas que quiserem qualquer esclarecimento. “Desenvolvemos um trabalho com transparência, com foco na economia de gastos, sem esquecer de garantir qualidades dos produtos oferecidos ou serviços prestados para a população”.

A empresa citada na nota, disse que “não quer responder” e que vai acionar judicialmente.

Deixe um comentário