fbpx

Top five das eleições 2020 em Rondônia; confira

Envie para seus amigos

As eleições em Rondônia foram marcadas por traições, imagens inusitadas e trapalhadas dos candidatos. PAINEL POLÍTICO selecionou alguns episódios que marcaram o pleito no Estado. Confira nossa seleção de pérolas e acontecimentos.

Traição emedebista

O desembargador aposentado Walter Waltenberg sempre flertou com o MDB. Simpatizante da legenda, filiou-se ao ser convencido pelos caciques que seria candidato a prefeito de Porto Velho. Não deu. Williamens Pimentel bateu o pé, disse que o partido havia feito compromisso anteriormente e a Waltenberg restou disputar uma vaga na Câmara de Vereadores. Também não deu. Ele, que foi juiz eleitoral no passado, não se desincompatibilizou do cargo de professor da Escola de Magistratura, que é pública, e teve o registro indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral. Magoado, postou um ‘textão’ nas redes sociais e disse que ‘vai recorrer’. Bom lembrar que o MDB de Rondônia é ‘expert’ quando o assunto é traição. Maurão de Carvalho e Confúcio Moura que o digam…

Castigo divino

Tiziu Jidalias estava virtualmente eleito ao cargo de prefeito em Ariquemes. Tinha conseguido uma vice competente, a vereadora Carla Redano, que anulava o então prefeito Thiago Flores, que por motivos particulares havia decidido não disputar a eleição, e ficaria neutro no processo. Mas, Tiziu decidiu ‘usar o santo nome do Senhor em vão’. Numa bela manhã acordou, chamou a futura vice e disse que “falou com Deus e ele mandou que ela fosse trocada”. Magoada, Carla lançou candidatura ao cargo de prefeita, arregimentou apoio de Thiago Flores e por uma margem apertada, venceu as eleições. Tiziu sumiu. Ariquemes agradece.

Sem legendas

Breno Mendes, candidato `a prefeito de Porto Velho lançou a imagem abaixo. Na companhia do governador Marcos Rocha e de seu vice, que é pastor. Pelo jeito faltou combinar com Deus…

Voto crítico?

O “Ciro Gomes” de Rondônia, Vinicius Miguel que só não é tucano por mera conveniência, optou pelo ‘voto crítico’ no segundo turno, sem explicar exatamente como isso funciona e apertou o 45 com força em Hildon Chaves. Ele também ‘sentou o dedo’ no 45 em 2018 quando ‘tucanou’ com Expedito Júnior. Miguel também passou apuros durante o primeiro turno, ao ter que explicar o que fazia em um evento que homenageava ( com justiça) a vereadora carioca assassinada Marielle Franco. Para não melindrar a direita raivosa, Vinicius disse que não estava lá, mas apareceu um vídeo no meio do caminho… Miguel também teve. que justificar um artigo onde defende as relações poliamorosas ( e ele também tem razão, afinal, quem tem direito de fiscalizar a vida pessoal dos outros, né)?

Tamojuntos

O prefeito Hildon Chaves (que foi reeleito) compartilhou, na maior cara de pau, um ‘o povo fala’ do irmão do vereador Alan Queiroz, Aleksander, sobre a ‘qualidade do transporte público’. Aleksander nem deve lembrar (se é que isso ocorreu) quando entrou em um ônibus de transporte público. Ele deve ter confundido com aqueles que fazem traslado em aeroportos…

Esses aí foram os mais marcantes episódios da disputa eleitoral em Rondônia. Se lembrar de alguns mais, pode mandar aqui mesmo nos comentários ou no nosso zap, o 69 99248-8911.

Deixe um comentário